sábado, 22 de outubro de 2011

A HISTORIA DO HOMEM

Entende-se Heidegger, quando este apresenta o cuidado como uma categoria essencial do ser humano. Uma fábula conservada por Higino, filósofo e bibliotecário de César Augusto, igualmente aduz para tanto:


Certo dia, Cuidado, passeando nas margens do rio, tomou um pedaço de barro e o moldou na forma do ser humano. Nisso apareceu Júpiter e, a pedido de Cuidado, insuflou-lhe espírito. Cuidado quis dar-lhe um nome, mas Júpiter lho proibiu, querendo ele impor o nome. Começou uma discussão entre ambos. Nisso apareceu a Terra, alegando que o barro era parte de seu corpo e que, por isso, tinha o direito de escolher um nome. Gerou-se uma discussão generalizada e sem solução. Então todos aceitaram chamar Saturno, o velho deus ancestral, senhor do tempo, para ser árbitro.

Este deu a seguinte sentença, considerada justa: Você, Júpiter, deu-lhe o espírito, receberá o espírito de volta quando esta criatura morrer. E você, Cuidado, que foi o primeiro a moldar a criatura, acompanhá-la-á por todo o tempo em que ela viver.

E como vocês não chegaram a nenhum consenso sobre o nome, decido eu:
chamar-se-á homem, que vem de húmus, que significa terra fértil.

Nenhum comentário: